02
MAR
2020

Programa de Mestrado em Educação promove Defesa de Dissertação em Terreiro de Candomblé

Alessandra Maria da Silva Gomes - “Por uma escuta sensível: o que dizem crianças e adolescentes candomblecistas a respeito de suas experiências religiosas considerando o contexto socioeducacional que vivem?"No último sábado, 29 de fevereiro, o Programa de Pós Graduação em Educação realizou a sua 139ª defesa de dissertação numa sessão pública marcada por intensa participação comunitária e vínculo social. A mestranda Alessandra Maria da Silva Gomes defendeu sua pesquisa intitulada “Por uma escuta sensível: o que dizem crianças e adolescentes candomblecistas a respeito de suas experiências religiosas considerando o contexto socioeducacional que vivem?” na Casa Ilê Asé Sópónnón, um terreiro de Candomblé situado na região Leste de Belo Horizonte.

A partir da percepção de crianças e adolescentes inseridos na Comunidade de Terreiro, a pesquisa buscou compreender como se estabelecem as relações e formas de interação desses sujeitos nos espaços da escola pública e no terreiro considerando o contexto caracterizado por hierarquias culturais, preconceitos, discriminação e manifestações de racismo religioso.

As narrativas elaboradas pelas crianças e adolescentes apontaram que, não obstante a implantação da Lei 10.639/03, que ao alterar a Lei de Diretrizes e Bases da Educação instituiu o ensino de história da África e cultura afro-brasileira na educação básica, a escola ainda é percebida como um ambiente hostil para os sujeitos que professam religiosidade de matriz africana. No entanto, de acordo com a pesquisa, o Candomblé pode criar referências e valores capazes de orientar ações e relações de crianças e adolescentes, em diversos contextos, uma vez que se constitui fonte de saberes que pode contribuir para a formação da identidade de crianças e adolescentes de modo a proporcionar o reconhecimento destes como sujeitos sociais.

A banca examinadora foi composta pelos professores José Eustáquio de Brito (Orientador), Karla Cunha Pádua (UEMG), Amauri Carlos Ferreira (PUC-MG), Nilma Lino Gomes (UFMG) e Daniela Oliveira Ramos dos Passos (UEMG), que no parecer de aprovação da dissertação destacaram a originalidade, profundidade da análise dos dados e a riqueza dos dados empíricos, recomendando a publicação de artigos.

De forma semelhante à Casa Ilê Asé Sópónnón, o Programa de Pós-Graduação em Educação se alegra com a realização dessa pesquisa que evidencia o compromisso da pesquisa em educação com a formação humana em sua diversidade de formas de expressão.