A Museologia Social do MUQUIFU

“A Museologia Social do MUQUIFU” – Produção cultural audiovisual resultado de um projeto investigativo desenvolvido no contexto da disciplina “Tópicos Especiais em Educação”, ocorrida no 2º semestre de 2019, com foco na Memória, Cultura e Territórios Educativos, ligada à linha de pesquisa Culturas, Memórias e Linguagens em Processos Educativos, do Mestrado em Educação da Universidade do Estado de Minas Gerais. Foi concebida e realizada por um total de 13 (treze) discentes da turma XI, sob a orientação das professoras Lana Mara de Castro Siman e Ana Paula Braz Maletta, em parceria com o Museu dos Quilombos e Favelas Urbanos – MUQUIFU –, situado no Morro do Papagaio, mais precisamente em um ponto de fronteira social, econômica e racial com um dos bairros da região centro-sul de Belo Horizonte.

A produção expressa um diálogo entre bases conceituais que fizeram parte do curso mencionado – provenientes dos campos de estudo das pedagogias culturais, da museologia social e de territórios educativos da cidade – e um processo investigativo realizado pelos pelos/as discentes por meio de visitas livres e mediadas ao Museu, de entrevistas realizadas com os idealizadores e responsáveis por esse espaço cultural e com uma ex-moradora e visitante do museu, neta de senhoras que fazem parte da história de constituição do Museu.

A criação audiovisual toma o MUQUIFU – museu comunitário de território –, como ponto irradiador de novas práticas museológicas e educativas, assim como de produção de novos conhecimentos sobre a história e a constituição dos territórios negros em Belo Horizonte. Cidade, como tantas outras cidades brasileiras, marcada por fortes desigualdades sociais e étnico-raciais cujas evidências, até então invisíveis, começam a ser reveladas e a consagrar lugares de memória da população negra na história de constituição e desenvolvimento urbano do município. O MUQUIFU representa, pois, um símbolo de resistência e luta pela igualdade racial e social na história de Belo Horizonte.

O trabalho representa uma iniciativa de inovação na formação dos/das discentes do Mestrado em Educação da UEMG, que visou a contribuir para a formação de professores/as da educação básica (e mesmo do ensino superior) que visitam o MUQUIFU com suas turmas de alunos/as, bem como para o público em geral, ao divulgar conhecimentos provenientes da relação entre conhecimentos e pesquisa sobre a memória social e a história da cidade. Nesta produção cultural entrecruzam-se olhares reflexivos e sensíveis sobre o potencial educativo da exposição temática do Museu formada por objetos pessoais e familiares portadores de memórias de seus moradores e ex-moradores do território, por iconografias da Igreja das Santas Pretas – Comunidade da Paróquia Nossa Senhora do Morro –, e por objetos de práticas culturais afro-brasileiras (tais como o Congado, a Folia de Reis), que estão pulsantes e/ou em vias de extinção nessa e em outras vilas do Aglomerado Santa Lúcia (pertencente ao Morro do Papagaio), da cidade Belo Horizonte.

O vídeo “A Museologia Social do MUQUIFU” foi realizado com o apoio do laboratório de Produção Audiovisual para Pesquisa e Ensino em Educação (PROAVI), do Mestrado em Educação e Formação Humana da UEMG, e encontra-se disponibilizado na plataforma de compartilhamento de vídeos YouTube, podendo ser acessado neste link.

A produção videográfica está inscrita no Festival Visões Periféricas 2020, sob o título “O Muquifu”, tendo sido apresentada com a seguinte sinopse: Moradores do Morro do Aglomerado Santa Lúcia (Belo Horizonte/MG) constroem um museu social que narra histórias deste lugar e população, construindo um espaço com autêntica potencialidade educativa para as relações étnico-raciais, formação crítica sobre a história da ocupação urbana local e reflexões identitárias.

  • Ficha técnica

    Gênero: Documentário

    Nacionalidade: Brasil

    Ano: 2019

    Direção: Pedro Fernandino Ogando

    Roteiro: Alexsandra Moreira de Castro, Ana Paula Braz Maletta, Débora Barbosa Alves, Esther Aparecida Barbosa Alves, Fernando Dias da Silva Mota Júnior, Isabela Rodrigues Ligeiro, Jonathan Alkmim Costa, Maria de Lourdes Lotério da Cunha de Paula, Mauro Pena de Faria Júnior, Lana Mara de Castro Siman, Lívian Aparecida Corsi Machado, Paola Reis Almeida, Pedro Fernandino Ogando, Rosangela Guerra de Andrade e Thelma Yanagisawa Shimomura.

    Música: Fernando Dias da Silva Mota Júnior

    Montagem e finalização: Pedro Fernandino Ogando

    Entrevistados:

    Pe Mauro Silva – Diretor e Curador do MUQUIFU; graduado em Museologia pela Universidade Pádua, Itália; doutorando em Ciências Sociais pela Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-Minas).

    Cleiton Gos – Artista plástico; pintou cenas iconográficas e murais da Igreja das Santas Pretas (Comunidade da Paróquia Nossa Senhora do Morro), em parceria com Maciel Ávila; é coordenador Educativo do MUQUIFU.

    Alexsandro Trigger – Artista plástico; estudante do curso de Museologia da UFMG; participante Coletivo MUQUIFU; morador do Morro do Papagaio.

    Jezulino Lúcio Mendes Braga – Mestre em História e Doutor em Educação pela UFMG; professor do Curso de Museologia da UFMG.

    Ethiele Gonçalves – Ex-moradora da Vila Estrela, uma das vilas do Morro do Papagaio.

    Produção: Laboratório de Produção Audiovisual para Pesquisa e Ensino em Educação (PROAVI) da Universidade do Estado de Minas Gerais.